Alviverde atropela o Bahia e segue perto dos líderes

O Palmeiras conseguiu sua terceira vitória no Brasileirão 2018 ao derrotar o Bahia em jogo válido pela sexta rodada da competição. O destaque do jogo foi Miguel Borja, que de saída para a seleção colombiana que disputará a Copa do Mundo da Rússia, marcou mais uma vez chegando a 15 gols em 23 jogos disputados pelo Verdão até o momento. Outro destaque também foi Felipe Melo, muito bem na partida e Antônio Carlos na zaga.

Roger Machado colocou em campo Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Willian, Keno e Miguel Borja. Já pelo lado baiano, Guto Ferreira mandou Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Everson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Edson, Zé Rafael, Vinícius e Elber; Júnior Brumado.

O jogo nem tinha começado direito e o Palmeiras já vencia por 1 a 0. Aos três minutos, Keno recebeu pelo meio e lançou ótima bola para Miguel Borja, que recebeu um profundidade pela esquerda, acreditou na jogada e cruzou para Willian finalizar sem chances para Douglas. Atrás no placar, o Bahia foi para o ataque e por pouco não empatou aos 9 com a bola na trave de Lucas Fonseca após um erro defensivo alviverde.

O Tricolor baiano continuou tentando e quase conseguiu o empate aos 14 em mais uma falha defensiva do Palmeiras. Num rápido contragolpe, Zé Rafael passou pela zaga e chutou no canto. Atento, Jaílson defendeu. O Verdão voltou a pressionar aos 23 quando Bruno Henrique lançou para a área e Douglas saiu de soco. A sobra ficou para Willian, que bateu forte para a defesa do arqueiro tricolor.

O Alviverde dobrou a vantagem aos 32. Depois do escanteio, Lucas Lima tocou para Marcos Rocha, que cruzou rasteiro para o meio da área. Antônio Carlos aproveitou a desatenção da zaga baiana e empurrou para o gol. Palmeiras 2 a 0. Tentando reagir, no jogo, o time de Gute Ferreira tramou uma bela jogada pelo meio da defesa do Verdão. O melhor jogador do Tricolor, Zé Rafael recebeu dentro da área tentou o voleio, mas a bola foi por cima do gol.

Letal nas conclusões, o Palmeiras ampliou o placar ainda na primeira etapa aos 41. Lucas Lima pela direita deu passe em profundidade para Miguel Borja. O camisa 9 bateu cruzado vencendo o goleiro Douglas e chegando a 15 gols no ano. Média muito superior aos 10 de 2017. Na comemoração, ele tirou a camisa e jogou para a torcida, que devolveu. O detalhe é que ele tinha dois cartões amarelos e não joga pelo Verdão até julho quando o time encara o Santos, fora de casa. Pouco depois, Borja recebeu cruzamento de Diogo Barbosa, mas pegou mal na bola perdendo gol incrível.

Na segunda etapa, o Palmeiras não quis saber de administrar a partida e continuou na pressão atrás de mais gols, mas pecava nas finalizações. Após o primeiros minutos, a intensidade do jogo do Verdão claramente diminuiu. O Bahia ainda ameaçou e Jaílson fez importante defesa em um cruzamento de Léo. Aos 27, Zé Rafael exigiu boa intervenção do arqueiro palmeirense. Dois minutos depois, o Palmeiras poderia ter ampliado o placar. Keno recebeu livre pela direita em velocidade e passou para Willian, que sozinho conseguiu acertar o travessão. INACREDITÁVEL!

Na parte final do jogo, Roger Machado colocou em campo um esquema com três meias ao mandar a campo Guerra e Hyoran. O camisa 28 se movimentou bem e deu bons passes como ao receber pelo meio e lançar para Keno, mas a arbitragem marcou impedimento errado do camisa 11.

Anúncios

Palmeiras goleia Bahia e segue na cola dos líderes

Retornando ao Allianz Parque pelo Brasileirão após duas rodadas como visitante, o Palmeiras goleou o Bahia no sábado à noite por 3 a 0. Willian, Antônio Carlos e Miguel Borja marcaram os gols do Verdão. Confira:

Com o resultado, o time de Roger Machado chegou aos 11 pontos e ocupa a quarta colocação no campeonato. No próximo sábado, às 19h, o Alviverde recebe o Sport pela 7ª rodada do certame nacional.

 

Com segundo tempo melhor, Verdão despacha Junior

O Alviverde garantiu a primeira colocação geral da Libertadores 2018 ao vencer o Junior Barranquilla-COL. Da equipe escalada por Roger Machado ontem, alguns atletas se destacaram. Fernando Prass pegou um pênalti. Mayke e Victor Luis seguros nas laterais. Thiago Santos bem na marcação e distribuição de passes, Miguel Borja fez pela primeira vez três gols em um jogo, mas o grande destaque foi Alejandro Guerra, que deu fluência à criação de jogadas do Palmeiras e buscou o jogo o tempo todo, algo que faltou a Lucas Lima quando titular.

Preservando praticamente o time titular, uma vez que já estava classificado, o técnico Roger Machado mandou a campo Fernando Prass; Mayke, Emerson Santos, Luan e Victor Luis; Thiago Santos, Tchê Tchê e Guerra; Dudu, Willian e Miguel Borja. Já o treinador Julio Comesãna colocou Viera; Piedrahìta, Arias, Ávila e Murillo; Pico e Cantillo; Chará, Barrera e González; Teo Gutierrez.

Com apenas Dudu e Miguel Borja de titulares, o primeiro tempo do Palmeiras parecia o jogo de domingo, quando foi derrotado pelo Corinthians. O time teve uma atuação fraca na primeira etapa e sofreu para encontrar espaços na marcação do Junior. Parecia desinteressado no jogo e manteve postura blasé em campo. Escolhido para ser o titular, Fernando Prass teve trabalho na primeira etapa.

Aos 9, Teo Gutierrez invadiu a área e tentou toque por cima abafado pelo veterano goleiro. Sem tanta inspiração, o Verdão tentava o ataque com Dudu, que recebeu de Guerra e chutou para fora. Precisando vencer a qualquer custo já que o Boca Juniors se garantia nas oitavas de final ao derrotar o fraquíssimo Alianza Lima, os colombianos rondaram a área, mas não foram precisos na conclusão.

Pela primeira vez escalados como titulares, Guerra e Borja mostraram o entrosamento dos tempos de Atlético Nacional aos 28. O meia pela direita tabelou com o atacante e recebeu na frente. Na hora de concluir, a defesa tirou e a bola sobrou para o camisa 9, que chutou por cima atrapalhado pela marcação.

O Junior respondeu com Teo Gutiérrez de fora da área. Fernando Prass fez ótima defesa. Aos 39, o arqueiro salvou o Verdão ao fazer ótima intervenção na cabeçada de Piedrahita. No contragolpe, Tchê Tchê encontrou Dudu. Ele invadiu a área e tocou rasteiro. Vieira fez uma boa defesa impedindo o gol do Alviverde. O Verdão terminou o primeiro tempo sendo vaiado.

Na segunda etapa, a bola na trave de Tchê Tchê indicou que o Verdão voltava mais ligado na partida. E realmente aos 6 saiu o gol. Numa blitz Alviverde, a zaga colombiana se atrapalhou, Mayke cruzou, o goleiro espalmou e Miguel Borja marcou. Palmeiras 1 a 0! Perdendo, o Junior foi ao ataque e conseguiu um pênalti aos 10 minutos bastante duvidoso após uma chegada de Luan em Teo Gutierrez. Fernando Prass fez importante defesa ao cair para o canto esquerdo no chute de Barrera e vibrou muito!

Aos 14, o Alviverde ampliou em um chutão do goleiro, um dos principais personagens da partida. A zaga colombiana falhou e Borja recebeu de Willian e tocou para o gol tirando do goleiro para dobrar a vantagem. Palmeiras 2 a 0! O Junior ainda diminuiu aos 21, em impedimento Teo Gutierrez marcou após jogada de Chará, pela direita.

Mas dois minutos depois, Guerra levantou para a área, a defesa cortou para o meio da área e Borja conferiu o terceiro! O camisa 9 pela primeira vez fez três gols em um jogo. Aos 31, o Alviverde voltou ao ataque com Dudu que recebeu de Willian e chutou cruzado para fora. O jogo seguiu com o Verdão perdendo chances com Hyoran e Willian antes do apito final.

Alviverde bate Junior e garante liderança geral da Libertadores

No fechamento do grupo 8 da Libertadores, o Palmeiras derrotou ontem o Junior Barranquilla-COL por 3 a 1 e foi a 16 pontos e garantindo a primeira colocação geral da competição e o direito de decidir os mata-matas sempre em São Paulo. Miguel Borja marcou os três gols do Verdão. Confira:

O Boca Juniors-ARG se beneficiou da derrota colombiana e também se qualificou para a próxima fase. Agora o Verdão espera o sorteio das oitavas de final, que acontece dia 4 de junho, na sede da Conmebol no Paraguai.

Para ficar em primeiro do grupo

O Palmeiras recebe logo mais às 21h45 de hoje os colombianos do Junior Barranquilla-COL em partida válida pela última rodada da fase de grupos da Libertadores da América. Já classificado em primeiro lugar com 13 pontos em um grupo que conta também com o Boca Juniors-ARG, o time de Roger Machado pode assegurar em caso de vitória a liderança geral do certame, o que garantiria a vantagem na hora de decidir os jogos de mata-mata em São Paulo.

Se empatar, o Palmeiras corre o risco de ser ultrapassado na classificação geral por  Grêmio, atual campeão da América, Libertad-PAR, e os argentinos River Plate e Racing. Se perder, o Verdão elimina o Boca Juniors-ARG da competição, além de garantir a presença do Junior Barranquilla como segundo do grupo.

Conforme já indicado por Roger Machado, após a partida no Peru diante do Alianza Lima, o Alviverde deve entrar para vencer sem se importar com a condição dos rivais e garantir assim que as decisões da vaga sejam sempre no Allianz Parque conforme for avançando na Libertadores da América.

O sorteio para a próxima fase da competição sul-americana acontece em 4 de junho na sede da Conmebol, no Paraguai. As oitavas de final serão disputadas após a Copa do Mundo com início entre os dias 8 e 29 de agosto.

TJD-SP pune Galliote por declaração

O presidente do Palmeiras, Mauricio Galliote, foi suspenso por 45 dias pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva). Ele foi julgado pelas declarações que deu após a final do Paulistão no qual disse que o torneio era um “Paulistinha” e que o campeonato foi “manchado”.

O mandatário foi denunciado pela procuradoria no artigo 258 parágrafo 2º-II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em “assumir conduta contrária à disciplina e à ética desportiva” e “desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões”.

Após o certame, o clube rompeu com a FPF (Federação Paulista de Futebol). O clube reclama de interferência externa no lance que decidiu o jogo quando o árbitro Marcelo Aparecido de Souza marcou pênalti de Ralf em Dudu aos 26 da segunda etapa. Após oito minutos e reunião dentro de campo com a equipe de arbitragem, o árbitro voltou atrás.

Após várias imagens feitas inclusive pela empresa Kroll, que o Verdão contratou para conseguir provar a irregularidade, provas anexadas ao processo, o presidente do TJD, Antonio Olim, arquivou o processo que analisava o clássico entre Palmeiras e Corinthians. Na última semana porém, o Alviverde entrou com um “mandato de garantia” no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para que o TJD analise o pedido de impugnação na final pedido pelo Palmeiras.

Até quando Palmeiras?

Desde o início de 2017 quando Fábio Carille assumiu o Corinthians no lugar de Tite são  sete dérbis, isso mesmo sete dérbis e o Palmeiras só conseguiu vencer um: a final do Paulistão deste ano, no Itaquerão. O que preocupa a grande torcida do Verdão foi a postura apática e ridícula do time como um todo e principalmente de alguns jogadores em campo. Não se pode entrar no dérbi contra o Corinthians, seja lá em qual estádio for e não competir. Parecia tudo normal após mais uma derrota para o rival da maneira que foi!

Nas últimas partidas vimos um Palmeiras bastante agressivo realizando a pressão alta, trazendo dificuldades aos adversários no campo de defesa, estratégia de Roger Machado. O mesmo técnico que acertou em partidas anteriores fora de casa, foi mal ontem ao não exercer a pressão na saída de bola do adversário para forçar o erro e posicionar o time apenas esperar o Corinthians em seu campo e deixar a bola com Henrique e Balbuena e a saída pelas laterais, principalmente com Sidcley pela esquerda.

Faltou coerência e coragem a Roger nas substituições durante o jogo. Por quê não arriscar algo diferente? Onde está o garoto Hyoran para tentar algo diferente sendo que vinha bem numa sequência? Alguns jogadores foram bastante tímidos em campo e quase não tocaram na bola. Dudu e Lucas Lima se entregaram à marcação corintiana e não saíram dela. Guerra entrou mal também.

Roger Machado foi mal também ao iniciar a partida com Miguel Borja em campo e demorou a mexer. Willian, bem mais móvel, poderia ter dado mais trabalho à defesa corintiana. O colombiano até lutou correu e fez bastante faltas, mas claramente não conseguiu fazer bem seu papel em campo. O “bigode” como é conhecido entrou apenas com 28 da segunda etapa e pouco produziu.

Ontem o Palmeiras sentiu falta de Felipe Melo, suspenso pelo terceiro amarelo, e de um pouco mais de vibração dos atletas em campo para a competição e também do treinador. Apenas Keno fez um jogo regular, trazendo dificuldades à marcação do lateral-esquerdo corintiano. Thiago Santos foi o principal personagem palmeirense ao perder o gol aos 37 da primeira etapa e logo na sequência não conseguir cortar o avanço de Pedrinho com Bruno Henrique, lance que gerou o gol de Rodriguinho.

O time de Fábio Carille, apesar de ter tomado três bolas na trave foi muito superior ao Palmeiras, principalmente na segunda etapa. O Verdão não conseguiu nem mostrar à torcida de Itaquera, que o Paulistão foi ganho com clara interferência externa. Faltou bola! O Alviverde se preocupou muito mais com a arbitragem de Anderson Daronco, que não cometeu nenhum erro grave a favor dos donos da casa.

Mais uma vez, o Palmeiras vai mal diante de um clássico contra o maior rival. Mais uma vez, Fábio Carille conseguiu o encaixe de jogo contra o Verdão e foi melhor que Roger Machado como no Allianz Parque na última partida do Paulistão. Os atletas do Palmeiras precisam se ligar e mais. É dérbi e não se pode ter a postura vexatória de ontem sem competir. Até embaixadinhas com a cabeça de Romero, o Palmeiras viu fazer. Apesar de ter habilidade, o atleta claramente tirou sarro de um elenco que ganha muito e entrega pouco diante do maior rival desde 2017! Mais uma vez esse palmeirense pergunta… até quando Palmeiras?

Corinthians vence Palmeiras em Itaquera

Depois de três jogos fora de casa vindo de vitória, o Palmeiras não conseguiu repetir as últimas atuações e foi derrotado pelo Corinthians por 1 a 0 pelo Brasileirão 2018. Destaque do time nos últimos jogo, apenas Keno manteve a sequência de boas atuações. O que se pode chamar atenção pelo lado negativo porém é a postura apática do time e de alguns atletas em campo como Thiago Santos, após perder o gol, Lucas Lima e Dudu, desaparecidos.

Roger Machado escalou o Verdão no 4-2-3-1 com Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique e Lucas Lima; Keno, Dudu e Miguel Borja. Jogando em casa, Fábio Carille colocou Cássio; Mantuan, Balbuena, Henrique e Sidcley; Gabriel e Maycon; Pedrinho, Jadson, Rodriguinho e Romero.

O primeiro tempo foi bastante equilibrado de parte a parte. Uma partida bastante estudada de parte a parte. O Alviverde marcava mais em seu campo esperando o Corinthians, que tomou a inciativa aproveitando o fator local. Maycon pegou de primeira de fora da área e assustou Jaílson. Os comandados de Roger Machado não conseguiram criar, pois Dudu e Lucas Lima estavam muito apagados no jogo. Keno levou perigo a Cássio em um chute cruzado.

A partir daí, o Verdão cresceu no jogo adiantando a marcação e passando a incomodar a saída de bola do Corinthians e criou algumas chances. Dudu pegou fraco na bola de fora da área. O time local passou a explorar as dificuldades de marcação de Marcos Rocha pelo lado direito e levou perigo com Romero alçando bolas para a área. Em mais uma chance perigosa, Jádson preparou a jogada para Gabriel, que vindo de trás arriscou. A bola saiu desviada à direita de Jaílson.

O jogo seguiu equilibrado até que aos 37 minutos, a bola foi dividida na entrada da área do Corinthians e Keno tocou de cabeça para dentro da área. Thiago Santos chutou e a bola explodiu na trave. Logo na sequência, o time de Fábio Carille saiu rápido no contragolpe. Pedrinho passou no meio de de Bruno Henrique e do camisa 5, que voltava do ataque e tocou na esquerda para Jádson. O camisa 10 viu a passagem de Maycon, que cruzou. A bola passou por Antônio Carlos, Jaílson e chegou nos pés de Rodriguinho, que marcou. Corinthians 1 a 0 e festa em Itaquera para mais de 34 mil corintianos.

Na segunda etapa, o Palmeiras voltou da mesma maneira. O time de Roger Machado não conseguiu oferecer perigo a Cássio. A apatia e a falta de postura Alviverde foi algo notório tanto que Thiago Santos sentiu demais e foi substituído por Tchê Tchê, que também entrou mal. Guerra entrou também no jogo no lugar de Lucas Lima, mas não conseguiu criar muito no ataque. Dudu, completamente desaparecido em campo, também não ameaçou Cássio.

Apesar do placar adverso, o Palmeiras tentou chegar ao gol e novamente acertou a trave com Bruno Henrique de fora da área. O Corinthians chegou novamente no contragolpe. Maycon pela esquerda cruzou e Pedrinho, livre na entrada da área finalizou. Jaílson fez um ótima defesa salvando o Verdão. Balbuena também tentou de cabeça após escanteio, mas a bola saiu por cima do gol.

Conforme o tempo, a superioridade corintiana foi ficando mais evidente. Jaílson teve de trabalhar no chute de Pedrinho, de fora da área e mandou a bola a escanteio. O Verdão até chegou, mas a pontaria não estava lá essas coisas. Tchê Tchê mandou por cima do gol. O time de Fábio Carille voltou ao ataque de novo com Pedrinho. O atacante arriscou de fora da área por cobertura e Jaílson defendeu. O Verdão ainda carimbou a trave de Cássio mais uma vez com Antônio Carlos, de cabeça mas o placar não se alterou.

Galiotte planeja alteração de estatuto

O presidente Mauricio Galliote pretende fazer uma alteração no estatuto do Palmeiras ao aumentar o mandato do presidente de dois para três anos por meio de reeleição. Ele sugere três mandatos de 2 anos cada com duas reeleições em um total de seis anos. Se aprovada, porém o uso de dinheiro oriundo de incentivos fiscais ficaria impossibilitado pela Lei Pelé.

O presidente do conselho deliberativo do Palmeiras, Seraphim del Grande, explicou que Leila Pereira quer investir no clube. “As empresas podem destinar entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões via incentivos fiscais, mas há ainda possibilidade de esse valor passar para até R$ 50 milhões ou R$ 60 milhões, se um projeto de lei que altera a alíquota de 1% para 3%, em trâmite, for aprovado”, disse.

Com a alteração de mandato, a conselheira Leila Pereira, que é presidente da atual patrocinadora do Verdão e sonha em ser mandatária do clube seria a principal beneficiada para uma futura candidatura. Se for reeleito, Galiotte continuará como presidente até o fim de 2020.

Verdão vence Coelho e garante vantagem na Copa do Brasil

Na estreia da Copa do Brasil já nas oitavas de final, uma vez que também disputa a Libertadores da América, o Verdão visitou ontem e derrotou o América-MG no estádio Independência. O destaque do time de Roger Machado foi mais uma vez o atacante Keno, que não só ajuda na marcação do lado esquerdo ou direito dependendo de onde estiver, mas também no ataque com assistência e muita velocidade.

A ideia do técnico Roger Machado era colocar os titulares na tentativa de abrir alguma vantagem sobre o adversário. Por isso, ele mandou a campo Jailson, Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa, Bruno Henrique e Felipe Melo na proteção com o trio de meias formado por Dudu, Lucas Lima e Keno. Mais à frente Miguel Borja. Enderson Moreira colocou a equipe mandante com João Ricardo; Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Leandro Donizete, Christian e Serginho; Luan, Aderlan e Rafael Moura.

Em uma partida bastante movimentada na primeira etapa, o jogo teve chances de ambos os lados. O América não se deixou intimidar pelo adversário e apostou na forte marcação no meio campo. Aproveitando o fator torcida, o Coelho assustou em chegadas de Serginho, de falta e Christian de fora da área. Já pelos lados do Palmeiras, Lucas Lima muito sumido pela ponta esquerda não conseguia se movimentar nem aparecer para buscar o jogo. Coube a Dudu fazer as vezes do camisa 20. Foi do atacante de 1,67cm a chance de cabeça após cruzamento de Borja aos 17.

Se o lado direito do Verdão estava seguro, com Antônio Carlos, Marcos Rocha e Bruno Henrique na cobertura, o mesmo não se podia falar do lado esquerdo que parecia um tanto desatento com Edu Dracena, Diogo Barbosa e Felipe Melo, perdido na marcação dos meias americanos. Assim, o Coelho sempre tentava atacar por aquele lado, onde Aderlan cruzou e a bola passou na frente da área de Jailson e Marcos Rocha mandou a escanteio.

Com movimentação boa na frente de Dudu Keno e Borja, o Verdão passou a criar mais jogadas. Aos 21, Borja recebeu lançamento pela ponta direita e se enrolou com a marcação, mas serviu Dudu que vinha pelo outro lado. O camisa 7 tocou finalizou a jogada, mas perdeu gol feito. Quem também desperdiçou a chance foi Miguel Borja. O centroavante dentro da área pegou de primeira e mandou para fora. O América chegou aos 34 na falha de cobertura de Felipe Melo e desatenção da defesa Alviverde. Aderlan caiu pelo lado direito contra apenas Diogo Barbosa. O camisa 13 tocou para Serginho, que sozinho chutou torto e a bola passou na frente do gol de Jaílson levando muito perigo.

Aos 37, Miguel Borja se redimiu marcando o primeiro gol do jogo. Lucas Lima, pela ponta esquerda deu um passe na medida para Miguel Borja, que recebeu entre o zagueiro e a saída do goleiro e escorou para o gol vazio. Palmeiras 1 a 0. O Verdão não conseguia encaixar a marcação do lado direito e quase sofreu o empate após mais um cruzamento. A bola passou por todo mundo e Luan finalizou para fora.

Na segunda etapa, o Verdão levou sorte. Desajustado na marcação defensiva, o time de Roger Machado levou sorte. Aos 5, jogada de Luan, pela esquerda e ele cruzou para Rafael Moura escorar, mas a bola saiu fraca e Jailson defendeu. O Verdão então foi ao ataque e foi fata. Jogada de Keno, que puxou o contragolpe. Ele tocou para a velocidade de Miguel Borja e correu para receber o passe. O colombiano chegou no bico da área e tocou para dentro. O camisa 11 completou para o gol fazendo seu sétimo no ano. Palmeiras 2 a 0!

Atrás no placar, o América colocou Marquinhos e Aylon pelos lados do campo para dar trabalho à marcação Alviverde e cresceu no jogo. Na sequência, a defesa palmeirense não conseguiu segurar Marquinhos, que chegou no fundo e serviu Cristian, que vinha de frente. Felipe Melo deu um pique e atrapalhou a finalização e evitou o gol do América.

De tanto tentar, o time mineiro descontou num erro infantil de Antônio Carlos. Aos 27, na saída de bola de Jaílson pela direita, o zagueiro perdeu a bola para Aylon, que achou Serginho livre no meio da área. Ele finalizou bem e marcou o único gol dos donos da casa. O Palmeiras voltou ao ataque tentando ampliar a vantagem com Keno. Aos 32, após bela troca de passes da esquerda para a direita, Dudu achou Bruno Henrique no meio e ele serviu o camisa 11, que chutou cruzado para fora.

Aylon realmente bagunçou o sistema defensivo do Verdão, que não estava numa noite tão feliz e deu muito espaço não ocupando os espaços como deveria dando campo para o América/MG levar perigo. Serginho recebeu pela meia esquerda e bateu prensado pela defesa. Pouco depois, Aylon de cabeça, no meio da zaga Alviverde cabeceou, Jaílson não segurou e Antônio Carlos salvou o que seria o empate americano. Aos 38, Marquinhos desperdiçou a última chance dos mineiros ao chutar a bola por cima da barreira e ela sair na rede pelo lado de fora.